Como se livrar das Dívidas


As dívidas podem ser acumuladas de diversas formas, mas poucos brasileiros conhecem técnicas valiosas para livrar-se desses débitos de forma inteligente e efeitva.

Siga algumas dicas, por ordem de prioridade como aparecem:
01) Procure, ainda que pareça impossível, poupar 10% dos rendimentos mensais, ou ao menos 5% todos os meses. Aplique esse valor em local seguro (claro que se a dívida é bancária, não poderá aplicar na poupança do Banco – pois será automaticamente debitada). O objetivo aqui é juntar no tempo um volume considerável para tentar negociar amortizações ou cancelamentos totais da divida, ainda que leve anos.

02) Cancele cartões de crédito (se não consegue pagar a fatura em dia) e/ou utilização do cheque especial.

03) Busque realizar um empréstimo pessoal para liquidar dívidas bancárias de cheque especial, compare o valor dos juros, normalmente empréstimos com vencimentos determinados em várias parcelas, possuem juros menores.

04) Seja qual for o caminho a seguir, a melhor técnica será otimizar seu tempo de trabalho, fazendo horas extras ou até trabalhos extras em outro emprego temporário. Assim poderá poupar mais e em menos tempo gerar volume para buscar liquidação total.

05) Poucos sabem que seja qual for a dívida, caso não tenha bens para ser penhorados, o credor não irá conseguir executar o crédito e poderá frustrar-se, por meses ou anos. Nesse tempo, saiba poupar e quando atingir 50% a 70% do valor da “dívida base”, ou seja, sem o acréscimo de juros, então procure o credor para oferecer liquidação total da dívida. Na grande maioria das vezes, será analisado a impossibilidade de liquidar o saldo devedor via execução forçada, logo haverá aceitação da proposta.
O ponto fraco dessa idéia é, logicamente, correr o risco da negativação do nome por todo o prazo de inadimplência.

Por fim, saiba abrir mão de confortos e com humildade busque formas de comercializar produtos usados pela internet. O mercado livre é um ótimo local para comercializar tais bens, comece com os guardados de pouca utilização, até brinquedos antigos são muito bem pagos, eletrônicos velhos, etc.